Sexta-feira, 22 de Julho de 2022 - 07h51
Inter cumpre meta de reformulação, libera quase 30 jogadores e muda elenco
Nomes emblemáticos deixara a equipe
Foto: Reprodução

A direção do Internacional prometeu e está cumprindo. A reformulação citada como grande objetivo desde o ano passado está a todo vapor no Beira-Rio. Com quase 30 saídas, considerando apenas os atletas mais importantes, desde o encerramento da temporada anterior, e a metade disso em contratações, o plano de mudança da 'fotografia' do grupo segue sendo atingido.

Considerando o comparativo com o fim do ano passado, vários jogadores deixaram o elenco. Houve venda, empréstimo ou simplesmente atletas que não renovaram o vínculo e tiveram outros destinos. Entre eles, atletas que foram titulares durante vários anos e eram peças relevantes do elenco.

Saídas emblemáticas

As saídas mais emblemáticas foram as de Patrick, Victor Cuesta e Rodrigo Dourado. Pilares do grupo e lideranças do vestiário, o zagueiro e o volante começaram 2022 nos planos do clube. No entanto, os resultados ruins do início do ano e a pressão da torcida empurraram ambos para outros destinos. Cuesta está emprestado ao Botafogo e Dourado foi vendido ao San Luís, do México.

Patrick, por sua vez, não chegou a usar a camisa vermelha neste ano. Foi, ainda em janeiro, envolvido em uma negociação com o São Paulo, que adquiriu seus direitos e enviou ao clube do Sul o empréstimo de Liziero.

Ainda na esteira de atletas longe dos prediletos dos aficionados mas que foram titulares durante boa parte da passagem por Porto Alegre estão Marcelo Lomba, que não renovou contrato na virada de 2021 para 2022 e está no Palmeiras, Moisés, que foi liberado para o CSKA Moscou, da Rússia, Rodrigo Lindoso, que renovou e foi emprestado ao Ceará, Paolo Guerrero, que rescindiu em novembro do ano passado e foi confirmado no Avaí, e Zé Gabriel, que foi envolvido na troca por Bruno Gomes com o Vasco.

Outro que foi titular no Inter e não permaneceu foi Saravia, cujos direitos pertenciam ao Porto, de Portugal. Hoje o lateral defende o Botafogo. Lucas Ribeiro também se desligou em dezembro, voltando ao Hoffenheim, da Alemanha, clube com o qual possuía vínculo. Hoje ele defende o Ceará.

Não era o que o clube queria, mas...

Nem sempre as saídas foram escolha do Inter. Com Bruno Méndez, que voltou ao Corinthians, o Colorado tentou de todas as formas a manutenção, mas não teve sucesso. O mesmo vale para Yuri Alberto, vendido ao Zenit, da Rússia, no começo deste ano por 25 milhões de euros (R$ 139 milhões na cotação atual) como maior negociação da história do clube. A saída se justificou na necessidade financeira. Hoje ele defende o Corinthians.

Vinicius Mello também precisou sair para que o clube contemplasse seu orçamento. A negociação com o Charlotte FC, finalizada em dezembro passado, levou aos cofres do clube aproximadamente R$ 12 milhões.

Experiência, rodagem ou carência de espaço

Também houve saídas para dar rodagem a jogadores jovens que não teriam espaço. Assim foram Pedro Henrique para o La Calera, do Chile, Mazetti para o Brasil de Pelotas, e João Félix para o Ypiranga-RS.

Com Léo Borges, que já não é jogador do Inter e foi para o Pogón Szczecin, da Polônia, Peglow, cedido ao Atlético-GO, Palacios, negociado com o Vasco, Marcos Guilherme, que rescindiu após voltar do Santos e atualmente está no São Paulo, Guilherme Pato, que foi em definitivo para o Neftci Baku, do Azerbaijão, e Juan Cuesta, devolvido ao Independiente Medellín, da Colômbia e que atualmente defende o Aldovisi, da Argentina, o problema era a falta de espaço.

Imaginando uma possível valorização e venda ao fim do período de empréstimo, Heitor foi liberado para o Cercle Brugge, da Bélgica.

Thiago Galhardo, que voltou de empréstimo do Celta, da Espanha, e foi liberado para o Fortaleza, tinha problemas de relacionamento no clube e o melhor caminho foi o rompimento.

Mal chegou e já vai...

Também houve gente que mal esquentou sua camisa no Inter. Casos de Wesley Moraes, contratado em janeiro por empréstimo junto ao Aston Villa e devolvido nesta semana. Ele irá atuar no Levante, da Espanha. E Bruno Gomes, que chegou no início do ano e foi cedido ao Coritiba.

A porta segue aberta

Ainda que tanta gente tenha deixado o Beira-Rio do fim do ano passado até agora, mais gente está por sair nos próximos dias. São os casos de Boschilia, que negocia com o Cruzeiro, e Gustavo Maia, que deve ter empréstimo finalizado antes do previsto.

O contrário também aconteceu

A mudança do elenco do Inter não se deu apenas com saídas. Houve 14 contratações até agora, em praticamente todos os setores do time. Chegaram: Fabricio Bustos, Vitão, Renê, Gabriel, Liziero, Alan Patrick, Wanderson, De Pena, D'Alessandro (que se aposentou), Pedro Henrique, David e Alemão. Além de Wesley e Bruno Gomes, que também já foram, e de Keiller, que voltou de empréstimo da Chapecoense.

A lista de contratações ainda espera um movimento mais ousado. O departamento de futebol do Inter quer concluir a transição para um novo grupo com um centroavante que possa assumir imediatamente a titularidade. O nome predileto é Nahuel Bustos, do Manchester City.


Fonte: Uol/esporte


COMPARTILHE:

Rádio Porto Feliz - AM 1530
Avenida Porto Feliz, 188 - Centro - Mondaí - SC
Ligue para nós: (49) 36740122

Este site também pode ser acessado via Smartphone/Tablet. Mais mobilidade para você.