Segunda-feira, 13 de Junho de 2022 - 07h51
Vaias a Taison e novo líder são reflexos da vitória sobre o Fla
Colorado é o quarto colocado
Foto: Ricardo Duarte/ Internacional

A vitória diante do Flamengo, pelo placar de 3 a 1 no sábado (11), não serviu apenas para colocar o Internacional firme no pelotão de cima do Campeonato Brasileiro ou solidificar ainda mais o trabalho de Mano Menezes. O jogo no estádio Beira-Rio mostrou reflexos do movimento do elenco cobrando pagamentos atrasados no comportamento da torcida e a consolidação de uma nova liderança no grupo.

O Inter bateu o Fla e manteve invencibilidade que já dura 15 partidas. Mano Menezes esteve à frente do time em 13 desses jogos e ainda não sabe o que é derrota no cargo. Mas nem tudo foi alegria no estádio.

Antes do início da partida, talvez o principal ídolo presente no elenco atual recebeu vaias. Taison, cria do Inter e que teve regresso da Europa celebrado, ainda que começasse no banco, ouviu xingamentos.

A atitude dos colorados reflete o movimento do início do mês, que cobrou o pagamento de direitos de imagem atrasados pelo clube. Os jogadores, inclusive, forçaram o cancelamento de um treino. Taison foi visto como uma das lideranças do protesto, ainda que tenha dito publicamente que não foi 'líder da rebelião'.

"Os acontecimentos que vivenciamos sempre têm consequências. E nós sabemos disso. A vaia que aconteceu teve relacionamento com outras coisas que não o campo. Quando e onde o Taison já tem ido bem e contribuído com a equipe. Hoje eu escolho ele ou Alan Patrick porque entendo que o time vive um momento de afirmação cuja produção de intensidade e de definições exige assim. Lá na frente, podemos usar juntos, porque qualquer formação pode ser usada, pois existem muitas maneiras de se jogar bem. Mas neste momento a maneira que entendo ser a melhor é esta", disse Mano Menezes.

Além do surgimento das vaias contra Taison, do jogo diante do Flamengo emergiu uma nova liderança no grupo. Mesmo que Rodrigo Dourado estivesse em campo, foi Gabriel quem levou a braçadeira de capitão.

Segundo o treinador vermelho, a escolha se justificou no momento enfrentado por Dourado e no comportamento de Gabriel no dia a dia do elenco.

"Naturalmente, o Dourado deveria usar a braçadeira. Mas eu achei que era um peso desnecessário em função de tudo que passamos nos últimos tempos. Já recuperamos o jogador, ele foi aplaudido pelo torcedor hoje, e é isso que queremos. Estamos trabalhando para construir esta intimidade entre time e torcida. E veja como tudo funciona melhor com este caminho", disse o treinador do Inter.

Rodrigo Dourado foi um dos jogadores mais cobrados com vaias da torcida recentemente. Aos poucos, desde a chegada de Mano, ele retoma lugar no time e está melhorando sua relação com os torcedores.

"Pensei que podia passar a braçadeira para o Gabriel porque é um exemplo de profissional. Ele serve para muitas coisas que defendemos, trabalha muito, quando saiu do time, não disse uma palavra, manteve a mesma seriedade e dedicação. São exemplos que estão aí para todos verem, não se precisa falar. E a braçadeira ficou bem nele", salientou Mano Menezes.

O Internacional, agora, se prepara para encarar o Goiás. Edenilson volta de suspensão, mas Taison e Carlos de Pena estão suspensos.


Fonte: Uol/esporte


COMPARTILHE:

Rádio Porto Feliz - AM 1530
Avenida Porto Feliz, 188 - Centro - Mondaí - SC
Ligue para nós: (49) 36740122

Este site também pode ser acessado via Smartphone/Tablet. Mais mobilidade para você.