Quarta-feira, 16 de Setembro de 2020 - 10h04
Grêmio retoma a disputa da Libertadores contra Universidad Católica no Chile
Tendência é que Luiz Fernando comece atuando no setor ofensivo
Foto: Lucas Uebel / Grêmio / CP

Um dia depois de comemorar seu aniversário de 117 anos, o Grêmio entra em campo para retomar aquela que é a competição mais desejada pelo clube e, consequentemente, pela sua torcida. Apesar do apelo dos torcedores por um título do Campeonato Brasileiro – que não vem desde 1996 – quando o assunto é Libertadores da América o gremista estampa um brilho nos olhos. Nesta quarta-feira, às 21h30min, no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile, o Tricolor encara a Universidad Católica em jogo do Grupo E.

Uma vitória deixa o time de Renato Portaluppi com a vaga às oitavas de final muito bem encaminhada. O problema é que a equipe não vem demonstrando um bom futebol há algum tempo. “A confiança no grupo é total. Antes da decisão do Campeonato Gaúcho a gente estava há 16 jogos sem perder. Perdemos um jogo em casa para o Sport, mas nós sabemos da nossa qualidade e da nossa força. E vamos mostrar isso amanhã (hoje)”, garante o capitão Geromel, que em 2017 venceu uma Libertadores pelo clube.

O Grêmio desembarcou no Chile sem a presença de jogadores importantes. O meio-campo, mais uma vez, estará desfalcado de Maicon e Jean Pyerre, duas peças fundamentais para o funcionamento do setor. O volante teve constatada uma lesão muscular na coxa e também desfalcará o Tricolor no Gre-Nal da próxima semana. Já Jean Pyerre tem chances de jogar o clássico. Na zaga, Kannemann está fora por lesão. E no ataque a ausência é Pepê, expulso no Gre-Nal de março. Éverton, que vinha sendo o substituto, nem viajou por estar gripado. A tendência é que Luiz Fernando ingresse no setor ofensivo.

“Jogar a Libertadores é o nosso sonho. Todo jogador quando é mais novo sonha em jogar essa competição”, acrescenta Geromel. “O Grêmio sabe jogar esse tipo de competição”, diz o técnico Renato Portaluppi. Os desfalques são muitos, mas o treinador também ganhou a opção de Diogo Barbosa para a lateral-esquerda. Na derrota para o Fortaleza, domingo, ele ficou no banco de reservas. Ontem, o Tricolor fez o último treino já em Santiago, mas sem deixar o hotel onde a delegação está concentrada na capital chilena. Os jogadores realizaram apenas trabalhos físicos na academia do hotel.

O adversário A Universidad Católica voltou a jogar após a paralisação do futebol no Chile no dia 29 de agosto. Desde então, foram quatro partidas, com três vitórias e uma derrota. O time comandado pelo treinador Ariel Holan lidera o campeonato chileno com 28 pontos. No final de semana, a Católica bateu o Audax Italiano por 3 a 0. Na Libertadores, no entanto, os chilenos buscam a primeira vitória. “Enquanto existirem chances continuaremos lutando”, disse o atacante Luciano Aued.

Libertadores 2020 - 3ª rodada do Grupo E

Universidad Católica

Matías Dituro; José Pedro Fuenzalida, Germán Lanaro, Valber Huerta e Raimundo Rebolledo; César Pinares, Ignacio Saavedra e Luciano Aued; Gastón Lezcano, Fernando Zampedri e Edson Puch. Técnico: Ariel Holan.

Grêmio

Vanderlei; Orejuela, Geromel, David Braz e Bruno Cortez; Darlan (Lucas Silva), Matheus Henrique; Alisson, Isaque, Luiz Fernando (Ferreira); Diego Souza. Técnico: Renato Portaluppi

Arbitragem: Dario Herrera (ARG)

Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, Santiago, no Chile

Data e hora: 16/09, às 21h30min


Fonte: Correio do Povo


COMPARTILHE:

Rádio Porto Feliz - AM 1530
Avenida Porto Feliz, 188 - Centro - Mondaí - SC
Ligue para nós: (49) 36740122

Este site também pode ser acessado via Smartphone/Tablet. Mais mobilidade para você.