Sábado, 25 de Abril de 2020 - 06h17
Pandemia pode adiar a eleição para presidente no Inter
Cresce movimento político para transferir o processo eleitoral
Foto: Mauro Schaefer

Além de provocar inéditos problemas financeiros para o Inter (assim como todos os clubes do Brasil) enfrentar nos próximos meses, a crise causada pela pandemia do novo coronavírus faz crescer um movimento nos bastidores políticos, pelo adiamento das eleições que definirão o próximo presidente.

A princípio, o processo eleitoral ocorreria entre novembro e dezembro.

O debate político, que costuma ser acirrado, habitualmente começa meses antes.

Marcelo Medeiros, eleito em 2016 e reeleito em 2018, será o último presidente do Inter com mandato de dois anos. Devido à reforma estatutária aprovada em dezembro de 2019, os próximos ficarão três anos à frente do clube, com possibilidade de uma reeleição.

O atual mandatário não comenta a possibilidade de adiamento da eleição, assim como os outros integrantes do seu conselho de gestão.

O presidente do Conselho Deliberativo (CD), José Aquino Flores de Camargo, conhece o movimento para adiar a eleição, mas evita tecer comentários sobre as possibilidades de implementação da ideia na prática. Reconhece apenas que, se houver um pedido formal de algum grupo político ou de um conselheiro individualmente, o assunto será tratado internamente no CD.

“Reconhecemos que a situação é grave, inédita e impõe obstáculos para os quais não estávamos preparados. Há uma situação excepcional, mas também não podemos simplesmente rasgar o estatuto do clube”, observou o presidente do Conselho. “Temos que analisar vários aspectos, inclusive se a atual direção tem interesse e disponibilidade de seguir por mais alguns meses”, concluiu Aquino.

Na última semana, o CD aprovou, sem qualquer ressalva, as contas do clube referentes a 2019. Um dia antes da reunião na qual foram apresentados os números, os principais movimentos políticos do clube entregaram ao presidente José Aquino Flores de Camargo um documento abrindo o voto pela aprovação de forma antecipada.

O movimento foi interpretado como um sinal de pacificação política do clube.

A eleição para presidente do Inter, se respeitados os atuais prazos, deve ocorrer em novembro dentro do Conselho Deliberativo, e até 15 de dezembro, entre os associados em geral.

Tudo indica que, até estas datas, as competições programadas para 2020 não estarão finalizadas.


Fonte: Correio do Povo


COMPARTILHE:

Rádio Porto Feliz - AM 1530
Avenida Porto Feliz, 188 - Centro - Mondaí - SC
Ligue para nós: (49) 36740122

Este site também pode ser acessado via Smartphone/Tablet. Mais mobilidade para você.