Sexta-feira, 10 de Agosto de 2018 - 05h29 - Atualizado em: Sexta-feira, 10 de Agosto de 2018
Racing e River empatam
River Plate jogou segundo tempo com um jogador a menos
Foto: Eitan Abramovich / AFP / CP

O confronto entre Racing e River Plate foi o que gerou maior expectativa nas oitavas de final da Libertadores por reunir os dois times argentinos de melhor desempenho na fase de grupos. E as duas equipes entregaram o que prometiam no primeiro encontro. O placar de 0 a 0 em Avellaneda na noite desta quinta-feira não reflete um jogo cheio de alternativas e disputado com muita intensidade, principalmente no primeiro tempo.

Após perder o artilheiro Lautaro Martínez e o goleiro Musso durante a parada da Libertadores para a Copa do Mundo, Eduardo Coudet contou com os substitutos Gustavo Bou e Arias como titulares diante de sua torcida nesta quinta. No River Plate, que não fez nenhuma contratação na janela, Marcelo Gallardo deixou no banco os mundialistas Enzo Pérez e Juan Quintero e apostou no jovem Exequiel Palacios e em Nacho Fernández no meio-campo.

O primeiro tempo do clássico foi bastante equilibrado e de muita velocidade em Avellaneda. Bem ao estilo de Coudet, o Racing tomou a iniciativa da partida sempre atacando com muitos jogadores. Sem a bola, a Academia procurava pressionar para recuperar logo e voltar a atacar. Fora de casa, o River Plate tinha uma marcação mais baixa, mas com posse praticava um jogo direto. Assim, o time de Núñez teve as primeiras chances da partida com com Pity Martínez e Scocco. Na primeira, Arias fez a defesa enquanto na segunda Nacho errou o chute sem marcação dentro da área.

A resposta do Racing veio pelos lados do campo com a velocidade de Centurión e Zaracho, sempre perigosos em cima dos laterais do River. Mas a melhor chance da equipe de Avellaneda nos primeiros 45 minutos esteve nos pés de Bou. O camisa 7 recebeu no lado direito da área e chutou no ângulo para grande defesa de Armani.

Antes do apito final da primeira etapa, o árbitro Anderson Daronco expulsou Ponzio pelo acúmulo de amarelos. Talvez um apitador argentino tivesse poupado o capitão do River Plate do segundo amarelo, mas não dá para dizer que o juiz gaúcho tenha errado ao dar o cartão que deixou a equipe de Gallardo com 10 homens.

Com um a menos, o River voltou para o segundo tempo sem o atacante Scocco, substituído pelo volante Bruno Zuculini. Gallardo posicionou seu time com duas linhas de quatro e deixou Pratto solitário na frente para brigar muito, mas sem conseguir finalizar ao gol de Arias.

A etapa final foi de domínio absoluto do Racing, que teve 73% de posse de bola e sete finalizações contra nenhuma no River. Mas os comandados de Coudet pararam em uma bela atuação de Franco Armani. A melhor defesa do arqueiro veio já nos acréscimos em cabeçada rasteira de Cristaldo que ele tirou com um tapa e impediu o grito de gol da torcida local.

O 0 a 0 desta obriga o River Plate a vencer a partida de volta para se classificar sem necessidade de pênaltis. Empate com gols serve para o Racing avançar às quartas de final no tempo normal. Mas por ter jogado todo o segundo tempo com um homem a menos, os Millonários saíram de Avellaneda com um sentimento de vitória.

O jogo decisivo entre River e Racing está marcado para o dia 29 de agosto, às 19h30min, no Monumental de Núñez.


Fonte: Correio do Povo


COMPARTILHE:

Rádio Porto Feliz - AM 1530
Avenida Porto Feliz, 188 - Centro - Mondaí - SC
Ligue para nós: (49) 36740122

Google Maps

Este site também pode ser acessado via Smartphone/Tablet. Mais mobilidade para você.